Com a reabertura das fronteiras e a oscilação do dólar desde o início do ano, o cenário de viagem para outros países se tornou bem mais favorável. E a busca por destinos no exterior já aumentou, segundo especialistas.

Se você faz parte do grupo que está de olho no câmbio, pensando nas próximas férias, precisa conferir a lista do Blog BB com 10 dicas para ajudá-lo na hora planejar a sua próxima (ou primeira) viagem ao exterior.

1. Planeje seu roteiro

Mesmo quem já está acostumado a viajar, pode se enrolar ao chegar a um novo país. Por isso, é importante pesquisar sobre o seu destino e os lugares que quer conhecer e montar o seu roteiro de viagem. Fazer isso com antecedência pode ajudar a avaliar futuras necessidades, como deslocamentos, compra de ingressos e reservas de acomodações e restaurantes e, ainda, garantir uma boa economia por não deixar tudo para a última hora. 😉

Defina antecipadamente quais os lugares e atrações que visitará e o custo de cada um deles. Algumas disponibilizam entrada gratuita em determinados dias, o que é muito útil se você deseja economizar um pouco mais. Utilize o transporte público, eles costumam ser bons e mais baratos que táxis e, de quebra, você tem a chance de experimentar um pouquinho da rotina do país visitado. Outra dica importante: consulte o calendário para ficar por dentro dos feriados do seu destino e organizar melhor os seus passeios.

Diferente do Brasil, muitos países têm estações do ano bem definidas. Então, pesquise sobre a época na qual pretende fazer a viagem para adequar a sua bagagem e comprar casacos ou o que precisar. Já pensou: chegar no seu destino com roupas leves em pleno inverno rigoroso?

2. Faça suas reservas com antecedência

Roteiro definido, é hora de começar a fazer as suas reservas: passagens, hospedagens e passeios. Quanto mais cedo você o fizer, mais chances de conseguir bons preços.

Ao escolher a sua hospedagem, leve em consideração alguns critérios além do preço, como localização, fácil acesso aos transportes, serviços oferecidos e, claro, qualidade. Dê preferência para sites mais conhecidos. Lembre-se sempre de pesquisar se há reclamações ou problemas com os próprios sites de reserva ou as acomodações indicadas e confira as avalições dos outros hóspedes. Verifique as formas de pagamento e dê preferência a opções com cancelamento gratuito, já que ter flexibilidade para trocar ou cancelar uma reserva pode ser útil.

Lembre-se de que os nossos hábitos podem ser bem diferentes daqueles de outros países. Então, alguns serviços oferecidos aqui podem não estar disponíveis, como o café da manhã, por exemplo.

3. Seguro de viagem

Imprevistos sempre podem acontecer, não é mesmo? Agora, imagine se acontecer quando você estiver fora do seu país!  Uma emergência médica, uma mala extraviada ou um dente quebrado. É impossível prever o que pode acontecer, logo, é importantíssimo fazer um seguro de viagem internacional.

Não podemos prever o que pode acontecer durante uma viagem, apenas estar preparados. Os seguros têm preços bem acessíveis e serão fundamentais no caso de uma emergência e, em alguns países, como muitos da Europa (que seguem o Tratado de Schengen), o seguro de viagem é obrigatório para todos os turistas. O gasto pode parecer desnecessário até acontecer um acidente.

Para quem quer economizar, uma outra opção é consultar a operadora do cartão de crédito. Algumas bandeiras oferecem o seguro como parte dos benefícios na compra das passagens aéreas.

Os seguros de viagem podem garantir outros benefícios além dos serviços médicos, como coberturas a extravio de bagagem, acompanhamento em caso de hospitalização, retorno ao país de origem em casos específicos, despesas jurídicas e até empréstimo para pagamento de fiança.

4. Passaporte, visto e vacinas

O passaporte é item quase obrigatório para destinos internacionais. Com exceção da América do Sul, por exemplo, em que vários aceitam apenas o documento de identidade (RG) para embarque, o passaporte ainda é o documento padrão válido em boa parte do mundo. Então, quando for escolher o seu destino, você precisa se informar sobre as regras do país em relação à apresentação obrigatória do passaporte. Também fique de olho na validade do seu passaporte. Caso esteja perto de vencer, você deverá consultar as regras do país destino, alguns exigem o mínimo de seis meses de validade.

Passaporte ok, é hora de conferir se o país escolhido exige ou não visto para brasileiros. E se você tiver uma conexão pelos Estados Unidos, fique ligado, mesmo que seja apenas uma parada no aeroporto, você precisará apresentar o visto americano, ou ficará preso por lá.

Países como China, Japão, Canadá e Austrália exigem que o visto seja providenciado antes do embarque, assim como os Estados Unidos. Outros fornecem o visto e cobram as taxas no momento da imigração, como a Indonésia e o Laos, por exemplo. E, em alguns casos, exigem apenas o visto eletrônico. Então, informe-se!

Lembre-se também de verificar as regras em relação às vacinas. Alguns países exigem comprovante internacional de vacinas contra diferentes doenças. Verifique quais os requisitos do seu destino e providencie o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP). Apesar de vários países já terem aberto as fronteiras a viajantes vacinados, alguns ainda têm adotado protocolos específicos quanto à obrigatoriedade de teste para Covid-19 e quarentena. Fique de olho.

5. Desbloqueie o seu cartão

Em viagens ao exterior é recomendável, se possível, viajar com dois cartões, caso um deles tenha algum problema. E o mais importante: habilite o seu cartão para uso no exterior. No Banco do Brasil, você faz isso direto pelo App BB e ainda pode definir o período em que a função ficará disponível. Prático, né?

6. Carteira ou doleira? Os dois!

Uma bolsinha colocada por baixo da roupa para guardar dinheiro, cartões, documentos e outros pequenos objetos, conhece? Ela é muito usada por viajantes para carregar coisas de valor em segurança. A dica é: carregue valores maiores e o seu passaporte na doleira, mas leve uma carteira também. Assim, caso você seja assaltado ou vítima dos famosos pickpockets¹, perde apenas a carteira com algumas notas, e não todo o seu dinheiro.

7. Chip internacional

Poder acessar mapas, guias, apps de locomoção, hospedagem, meios de comunicação e redes sociais durante a viagem é essencial, não é mesmo? E, para isso, você precisa ter uma conexão de internet. Os chips internacionais são excelentes opções e, geralmente, têm um custo inferior ao do serviço oferecido pelas operadoras nacionais.

O valor dependerá do tipo de plano e de quantos dias ele funcionará. É possível adquirir planos só de internet (3G e/ou 4G), só de ligações ou que englobem ambas. Em média, um chip internacional para os EUA com internet 4G ilimitada por 7 dias custa de 35 a 40 dólares. No caso de países europeus, é um pouco mais caro, em torno de 50 dólares.

Outra alternativa é verificar se a sua operadora do Brasil oferece pacotes ou passaportes que permitam o uso do seu telefone no exterior sem custos extras.

8. Aplicativos de viagem

Estes apps podem ajudar a economizar tempo e dinheiro e são super práticos. Existe uma infinidade de aplicativos, inclusive gratuitos, em que você poderá consultar mapas, reservas, horários de trens e voos, roteiros, entre outros, facilitando o seu planejamento e toda a sua viagem.

Quando estiver no seu destino, baixe apps de mobilidade urbana, transporte público, aeroportos, restaurantes e atrações. Eles ajudarão bastante e, dependendo do caso, poderão até garantir alguns descontos. Muitos museus têm apps especiais com direito a áudio. Nos EUA, por exemplo, existem diversos apps para descontos em compras e espetáculos.

9. Cuidado com os limites de valores

Em dezembro do ano passado, um novo limite para viagens internacionais foi aprovado. Com essa medida, brasileiros estão autorizados a viajar para o exterior com até U$ 10 mil. Até então, o valor máximo permitido era de R$ 10 mil.

Mas não se confunda: este é o valor que brasileiros poderão levar para o exterior, não o permitido para trazerem em compras, este é limitado a U$ 1 mil. Contudo, existem alguns itens que não entram nessa conta. São os itens considerados de uso pessoal: livros, roupas, perfumes, cosméticos, itens de higiene, relógios, máquina fotográfica, celular e notebook. No entanto, a quantidade de cada item deve ser coerente com a viagem (saiba mais aqui).

10. De olho no câmbio

A última dica é algo que não pode faltar na sua lista de planejamento da viagem: a compra da moeda utilizada no país destino. Mas qual o momento ideal para isso?  O câmbio está em constante oscilação, sendo impactado por questões políticas e econômicas diariamente. Então, é importante acompanhar o que está acontecendo no mundo e, claro, a cotação da moeda desejada.

Você pode fazer isso direto no App BB que, além de permitir monitorar a cotação da moeda desejada, possibilita o cadastro da compra direto no app, com prazo de até dois dias úteis para efetivar a transação numa agência.

Se no dia da efetivação, o valor da moeda for mais baixo, você pode cancelar e efetuar uma nova compra. Já se a cotação estiver superior ao valor contratado no app, você garante o valor do dia que contratou.

O dólar norte-americano é a moeda usada como parâmetro para as demais, sendo considerada uma das mais seguras de investir. As cotações das outras moedas são normalmente divulgadas em comparação com o dólar. Outro ponto interessante é que ele é aceito e bem valorizado em diversos países, sendo utilizado com maior facilidade em trocas locais.

Quando devo comprar dólar?

Bem, aproveitar os momentos de baixa é sempre uma boa. Mas, se você ainda está economizando a grana para a sua viagem, uma dica é ir juntando aos poucos. Você pode estar se perguntando agora: mas e o câmbio, como fica? E aí vem o pulo do gato: você pode colocar essa grana em um investimento que acompanhe a variação cambial, como os fundos cambiais e o COE dólar.  

Os fundos cambiais são fundos de investimentos que buscam acompanhar a variação de uma determinada moeda e agregar rentabilidade. Nesses fundos, a valorização do seu dinheiro vai acompanhar a variação da moeda, entendeu? Dessa forma, mesmo em um cenário de alta, a sua grana investida também terá se valorizado tanto quanto ou mais que a moeda. Já com o COE dólar, você pode investir em cenários de alta, assim como de baixa. Tem estratégia para todos os gostos.

Agora, com todas essas dicas, só falta mesmo escolher o próximo destino. E aí qual será o seu? Deixe aqui nos comentários. Seja qual for, conte com a gente para te ajudar. 😉

Ah, e se você ainda prefere esperar um outro momento para viajar ao exterior ou se os custos de voo, hospedagem e câmbio estão fora do seu alcance, não fique triste. Preparamos também esta lista de locais bacanas para visitar no Brasil. Compartilhe com a família e amigos e boa viagem!

¹ Uma forma de furto envolvendo o roubo de dinheiro ou outros objetos de valor de uma pessoa ou do bolso dela, sem que o ato seja percebido.

Comentários:

Seu e-mail não vai aparecer no comentário.

Carregando Comentários...